Coronavírus: Posso deixar de pagar meu aluguel?

22.05.2020

O Coronavírus afetou a renda de muitos brasileiros e o pagamento do aluguel tem se tornado uma grande preocupação; Entenda como fica.


Em tempos de pandemia, uma dúvida que tem feito parte da cabeça dos brasileiros é sobre a possibilidade de deixar de pagar o aluguel de sua casa e/ou estabelecimento comercial.


E a resposta é que mesmo com dificuldades financeiras, pois seja pela legislação ou pelo contrato firmado com o locador, o locatário não pode deixar de pagar o aluguel.


De acordo com o advogado e membro da Comissão de Direito Imobiliário e Condominial da 12ª Subseção da OAB-SP, Luís Felipe Archangelo de Oliveira, o que manda é o bom-senso e o diálogo entre as partes - locador e locatário.


“Deverão as partes encontrar um equilíbrio, caso o locatário necessite, e somente após ser devidamente comprovado o desequilíbrio econômico pelo motivo da pandemia, deverá realizar um acordo formal com o locador para que ambos encontrem a melhor maneira de contornar esta situação”, disse o advogado.


Suspender aluguel


A possibilidade de deixar de pagar o aluguel entrou em pauta através de um projeto de lei que visava alterar temporariamente dispositivos do
direito privado, com o objetivo de amenizar reflexos jurídicos da pandemia. No entanto, repercutiu mal no Senado e foi tirado de pauta, segundo afirmou o autor do projeto e senador Antônio Anastasia (PSDMG).


Segundo os senadores que se opuseram, o projeto transferiria o problema de locatários para locadores, que muitas vezes dependem da renda dos aluguéis como complemento à aposentadoria. Questionaram também o acúmulo do valor do aluguel após a pandemia, que poderia novamente complicar a situação dos locatários.


Ainda segundo Luís, a alternativa mais recomendada é que o locatário renegocie direto com o locador, desde que mostre os documentos que
comprovem a relação direta entre a pandemia do Coronavírus e a dificuldade financeira de arcar com as parcelas mensais do aluguel.

 

Medida que se faz necessária, haja vista muitos experimentam lucros ainda maiores nestes tempos de crise.


Negociação


O profissional complementa que é importante que a negociação entre o locatário e o locador não fique somente no boca a boca. “O acordo precisa ser estabelecido por um meio formal, pois isso dará segurança às duas partes”, disse.


Entrar na Justiça para pedir isenção ou descontos no aluguel deve ser a última opção. Até mesmo porque é muito importante demonstrar ao juiz que já houve uma tentativa prévia de conciliação. Isso demonstra a boafé de quem ajuíza a ação judicial.


Além disso, para quem for entrar na Justiça, cabe a necessidade de apresentar os documentos que comprovem a diminuição ou a inexistência de rendimentos, bem como que o locatário proponha alternativas para quitar o que se deve ao locador, e que demonstre a boa fé comprovando a tentativa de composição da obrigação.




Fonte: Portal Contábeis

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Please reload

Especialista Tributária

UMA EMPRESA DO GRUPO VIRIATO

© 2017 POR CORREA & LOPES CONSULTORIA TRIBUTÁRIA LTDA