• Correa e Lopes

BNDES vai ampliar em R$ 5 bilhões linha de crédito para capital de giro de micro e pequenas empresas

Orçamento de R$ 5 bilhões anunciado no início da pandemia está quase esgotado, segundo o presidente do banco, Gustavo Montezano.


O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai ampliar em R$ 5 bilhões a linha de crédito para capital de giro para micro, pequenas e médias empresas enfrentarem os efeitos econômicos da pandemia da Covid-19, disse nessa quinta feira (25) o presidente do banco Gustavo Montezano.


Segundo o executivo, os primeiros R$ 5 bilhões da linha lançada no começo da pandemia praticamente se esgotaram.

  • Em crise, pequenas empresas têm dificuldade de acessar linhas de crédito

"Quando abrimos a linha de cinco bilhões, a gente tinha certeza que ela ia ficar até dezembro, mas dado que a crise se agravou tanto e foi tão dramática, ela acabou, esgotando em duas semanas e naturalmente vamos expandir mais cinco bilhões", disse ele durante uma transmissão do BTG Pactual pela internet.


Montezano disse que o BNDES vai retomar o desinvestimento em ações logo que a volatilidade na bolsa de valores diminuir. "A gente vai retomar a agenda e até 2022 a carteira vai estar bem mais reduzida", afirmou.


Crédito livre


Com menos entraves, a linha de crédito livre do BNDES é a que tem maior adesão dentre todas as anunciadas durante a crise do coronavírus, como mostrou reportagem do G1 em maio. Têm acesso a ela empresas com até R$ 300 milhões de faturamento anual.


Dos R$ 5 bilhões destinados pelo banco, foram liberados até esta quinta-feira R$ 4,6 bilhões aos empresários.


Os valores concedidos nesta modalidade são de uso livre, mas recomendados para empresas que precisam de reforço de seu capital de giro. O financiamento tem limite de até R$ 70 milhões anuais, com carência de 24 meses e prazo para pagamento de até 60 meses.

  • Com pandemia, busca por empréstimos cresce, mas crédito bancário segue restrito e caro

De todo o volume de recursos até agora aprovados, 63% se destinaram às médias empresas, 29% às pequenas e outros 7% às microempresas, diz o banco.


Em geral, as linhas de crédito para pequenas e médias empresas estão travadas durante a pandemia. Uma pesquisa divulgada em abril pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) apontou que a maioria (60%) dos donos pequenos negócios que já buscaram crédito no sistema financeiro desde o início da crise do coronavírus teve o pedido negado.


O estudo mostrou também que ainda há bastante desconhecimento dos empresários a respeito das linhas de crédito que estão sendo disponibilizadas para evitar demissões. Do total de entrevistados, 29% afirmam não conhecer essas medidas e 57% apenas ouviram falar a respeito.


Fonte: g1.com

1 visualização

Especialista Tributária

UMA EMPRESA DO GRUPO VIRIATO

© 2017 POR CORREA & LOPES CONSULTORIA TRIBUTÁRIA LTDA