• Correa e Lopes

Crédito ajuda microempreendedor a sair do sufoco em plena pandemia

AgeRio oferece financiamentos com juros de 0,25% ao mês. Recurso pode ser solicitado pela internet

Microempreendedores fluminenses, que estão no sufoco por conta da crise provocada pela pandemia de coronavírus, têm a oportunidade fazer um financiamento na Agência Estadual de Fomento (AgeRio). Com linhas de crédito no valor de R$ 500 a R$ 15 mil e juros reduzidos de 0,25% ao mês, os recursos ainda podem ser solicitados pelo site (www.agerio.com.br). Segundo a AgeRio, 475 empreendedores já foram beneficiados até o momento.


O programa ainda possui outras condições especiais, como o prazo total para pagamento de até 24 meses, a contar da data de assinatura do contrato. A carência é de até três meses. Como garantia, o microempreendedor precisa indicar um avalista (fiador) com renda comprovada. Mas o que é necessário para ter acesso ao programa de microcrédito? Possuir cadastro de Microempreendedor Individual (MEI) no Estado do Rio de Janeiro; estar com o nome limpo; e contar com fiador que também não pode estar em cadastro de negativados no sistema bancário.


À frente de um quiosque e um estacionamento, na Praia da Barra de Guaratiba, na Zona Oeste do Rio, a microempreendedora Jéssica Lopes Machado solicitou, em meados de abril, a linha de microcrédito na AgeRio, no valor de R$ 15 mil. Ela conta que o aporte financeiro serviu para capital de giro do empreendimento, que sua família possui há 20 anos. "Nós dependíamos totalmente desses negócios e tivemos que fechar as portas de uma hora para outra. Foi desesperador. Assim que vi a notícia na televisão procurei a agência e comecei a correr atrás de toda documentação exigida. Foi um processo rigoroso, mas conseguimos finalizá-lo com sucesso em cerca de um mês. Ficamos muito aliviados em poder contar com AgeRio no meio da pandemia. Agora estou feliz porque conseguimos pagar a primeira parcela do financiamento em setembro, aproveitando a carência de três meses que o programa oferece", relatou.


Ampliação do negócio

A empreendedora Ana Cristina Albuquerque também conseguiu linha no valor de R$ 15 mil, o teto do programa de microcrédito da AgeRio. Segundo ela, os recursos estão sendo utilizados para capital de giro e na ampliação do sistema delivery de seu pequeno restaurante localizado em Bonsucesso, na Zona Norte. "Além do giro, usamos o crédito para aumentar a capacidade de entrega de refeições à domicílio. Com isso, conseguimos manter colaboradores e até aumentar o faturamento em plena pandemia", comemorou Ana Cristina.


Como pedir o crédito?

Após acessar o site da agência (www.agerio.com.br), aperte em "Microcrédito AgeRio - Clique aqui e solicite o seu crédito!". Será necessário preencher com os seus dados pessoais. A AgeRio solicita informações como: nome, e-mail, telefone, estado civil e se é casa do com o fiador, se seu faturamento anual fica acima ou abaixo de R$ 360 mil, CNPJ, segmento do negócio. Depois, marque uma das opções a seguir: como você chegou ao Microcrédito AgeRio?


Para continuar o cadastro, já tenha os seus documentos em mãos. É preciso anexar cópia do documento de identidade; cópia do CPF (se não constar na identidade); comprovante de residência(do mês atual ou do mês anterior); comprovante de MEI ou outra Pessoa Jurídica ou Carteira do Artesão ou Carteira do Cadastur (se você estiver renovando seu microcrédito, não precisa anexar seu comprovante de CNPJ); comprovante de conta bancária no seu nome, podendo ser, foto frente e verso do cartão, extrato bancário ou print da tela do aplicativo contendo sua conta, agência e nome do cliente (pessoa física); fotos do empreendimento (com o empreendedor aparecendo).


Também é obrigatório fornecer as informações do avalista como: nome, e-mail, telefone, estado civil e se é casado com o cliente. E quais são os documentos que ele deve apresentar? É preciso anexar cópia do documento de identidade; cópia do CPF (se não constar na identidade); comprovante de residência (do mês atual ou do mês anterior); comprovante de renda do mês atual ou do último mês (contracheque de salário, comprovante de aposentadoria ou declaração do Imposto de Renda com todas as páginas e com recibo anexado; não aceitamos nenhum outro comprovante de renda, nem extrato bancário de autônomo). Por fim, a identidade e CPF do cônjuge, se o avalista for casado ou tiver uma união estável.


Fonte: O Dia

9 visualizações