• Correa e Lopes Consultoria

Empresas Deixarão De Gastar R$ 150 Milhões Com Balanços, Estima Governo


Empresas poderão economizar R$ 150 milhões por ano com a dispensa de publicação de balanços financeiros em jornais.


A estimativa é do Ministério da Economia (ME). Hoje, as companhias são obrigadas a divulgar esses registros em veículos de mídia e no Diário Oficial da União, do Estado e do município.


Contudo, o Marco das Startups põe fim a isso. Aprovado na terça-feira 11, o dispositivo aguarda sanção do presidente Jair Bolsonaro.


A regra vale para sociedades anônimas, em que a propriedade é dividida em ações. Nas de capital aberto, ficam livres da publicação de balanços em meios impressos as que faturam menos de R$ 500 milhões. Para as de capital fechado, a regra é aplicada para quem tem faturamento inferior a R$ 78 milhões, conforme nota divulgada pelo ME.


O governo federal não desistiu da meta de liberar todas as empresas da publicação de balanços em jornais impressos. Não está decidido ainda como e quando isso será proposto. Das 600 companhias de capital aberto, 220 faturam menos de R$ 500 milhões anuais.


O gasto médio por ano com a publicação de anúncios é de R$ 690 mil diz nota da Economia. No caso das sociedades anônimas com capital fechado, faturam menos de R$ 78 milhões quase todas as empresas. Não há dados precisos disponíveis.


“Estamos simplificando e acabando com a burocracia, buscando a transformação digital do Brasil”, disse Caio Mario Paes de Andrade, secretário Especial de Desburocratização e Governo Digital do Ministério da Economia.


“Com a redução dos custos, as empresas poderão investir mais, tudo isso sem tirar o acesso à informação da sociedade brasileira, pois as informações estarão disponíveis na internet“, afirmou Andrade.


O secretário de Política Econômica do Ministério, Adolfo Sachsida, disse que a medida faz parte de um conjunto maior de medidas para combater a má alocação de recursos na economia. Mas também terá efeito forte para a retomada econômica.


“As empresas terão mais dinheiro em caixa, o que é importante para retomada da economia”, afirmou.


Fonte : Fundação Ivete Vargas.

1 visualização